Redação G8 News
jornalismo@g8news.com.br

 

Em novo depoimento à Polícia Federal, Marcelo Odebrecht não perdoou e entregou mais uma vez a ex-presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula. Nesse depoimento, Marcelo detalha o esquema de pagamento da propina relacionada ao Refis da Crise.

De acordo com a Folha de S. Paulo, que conseguiu ter acesso ao depoimento, o próprio empreiteiro tratava do assunto com o governo, conversando diretamente com o então ministro da Fazenda, Guido Mantega, e seu antecessor, Antonio Palocci. Mantega, segundo Marcelo, exigiu R$ 50 milhões de propina para encampar o projeto. O dinheiro seria usado na campanha eleitoral do ano seguinte, que elegeu Dilma Rousseff para a Presidência.

O empreteiro ainda disse que o esquema para a compra do Refis da Crise só foi montado após seu pai, Emílio, conseguir o aval do então presidente Lula, que estava sabendo de toda a movimentação. Marcelo contou que não se sentia seguro de gerar um crédito de propina daquele montante sem se certificar de que o próprio ex-presidente estava de acordo.

Conforme explica a reportagem, o dinheiro “teria sido gerado de um caixa dois da Braskem e seria alocado na conta ‘Italiano’, gerenciada por Palocci, no setor de propinas da empresa.”