Redação G8 News
jornalismo@g8news.com.br

 

Durante visita à Salvador, a pré-candidata do PCdoB ao Palácio do Planalto, Manuela D’Ávila, não acredita em união da esquerda no primeiro turno. Em entrevista coletiva na Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia (Ufba), na manhã desta segunda-feira (11), a comunista disse que o esforço do PCdoB é “para vencer as eleições”.

“Para nós, há uma obrigação no nosso campo político de resgatarmos o estado brasileiro para o povo. Nós não temos quatro anos para perder com aqueles que revogaram a CLT e fizeram uma reforma trabalhista que retira direitos das trabalhadoras e trabalhadores”, afirmou.

Manuela ressalta que a unidade da esquerda na eleição de outubro produziria maior força política ao campo, mas comenta que não houve construção para isso.

“Nós fizemos tudo aquilo que está ao nosso alcance para que essa unidade se materializasse para além do discurso do programa. Primeiro, estabelecemos um programa comum em dezembro do ano passado, o projeto com as bases para tirar o Brasil da crise. Depois, tentamos construir essa unidade”, lembra Manuela.

Apesar de Manuela D’Ávila ser otimista e acreditar que pode vencer as eleições, a pré-candidata do PCdoB patina nas pesquisas com uma média de 2% das intenções de votos. Ela nega que o PCdoB irá desistir de uma candidatura própria, mas nos últimos dias tem sido circulado nos bastidores uma possível aliança entre PDT, PCdoB e PSB, num chapão com Ciro Gomes como candidato.