A decisão da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (Setec/MEC) de unificar o campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia(IFBA) ao do Instituto Federal Baiano (Ifbaiano), em Valença, no Baixo Sul baiano, tem agitado os ânimos na comunidade escolar. Todos temem que, na prática, o IFBA seja extinto caso se confirme a fusão.

No último dia 27 de junho, uma audiência pública com a participação de cerca de 350 pessoas, entre diretores dos campi, docentes, servidores e estudantes, além de representantes de entidades sindicais, parlamentares e membros da sociedade civil, decidiu encaminhar indicativo contrário à medida ministerial.

A diretora do IF Bahia, Alba Rogéria, informou que a instituição tem 922 alunos e 126 servidores, e reclamou que não recebeu qualquer informação sobre qual destino terão todos eles. Segundo ela, não houve nenhuma discussão prévia. Por este motivo, um técnico enviado pelo MEC, em meados de junho, foi impedido de entrar na unidade pelos estudantes.

Presente ao encontro, o deputado estadual Hildécio Meireles (PSC) colocou o seu mandato à disposição para dialogar e tentar evitar esse possível desmonte de tão importantes unidades de ensino técnico para Valença e toda a microrregião.

O parlamentar tem conversado com deputados federais ligados ao Governo Federal no sentido de intermediar uma solução que resolva em definitivo o impasse que tem gerado bastante apreensão em estudantes e professores, e, por consequência, poderá influenciar negativamente no processo de ensino e de aprendizagem.