Redação G8 News
jornalismo@g8news.com.br

 

A Polícia Civil está investigando dois ataques de intolerância religiosa realizados em menos de um mês contra terreiros de candomblé, em Juazeiro. Os atos foram denunciados por entidades e órgãos locais que repudiam os atos criminosos, conforme informações do jornal A Tarde.

O primeiro terreiro a ser atacado foi o Oyá Gnan, liderado pela ialorixá Adelaide, no bairro do Quide. De acordo com as denúncias, desde 2015 o local é alvo constante de apedrejamentos. Em seguida, no mês de junho o terreiro Abassá Caiangô Macuajô, no bairro Sol Nascente, também foi apedrejado e teve objetos religiosos destruídos. Os agressores chegaram a escrever em uma tábua de construção que da próxima vez vão “derrubar a casa”.

Em nota, a União de Negras e Negros Pela Igualdade (Unegro) de Juazeiro repudiou as agressões, e destacou que qualquer expressão de intolerância é uma prática bárbara “que deve ser extirpada da sociedade, se queremos civilização em sua forma mais plena”.