O vereador-cantor Igor Kannário (PHS) deixou as polêmicas dentro e fora da Câmara de lado e apresentou um projeto de lei com a proposta de tornar o grafite um movimento artístico cultural urbano de caráter popular em Salvador.

Na proposta, Kannário propõe que os grafiteiros sejam reconhecidos como agentes da cultura popular e, assim, devem ser respeitados como tal, proibindo qualquer tipo de preconceito contra eles.

“O grafite é um importante movimento artístico-cultural para o Brasil e difundido em todo o mundo. Dada a importância, desta arte, a sua expressão é reconhecida em locais como Nova York, Melbourne, Miami e Berlim. Já na cidade do Salvador, diversos painéis do grafite estão colorindo e dando beleza a nossa cidade, trazendo temas que caracterizam a linguagem da realidade da vida urbana e social”, argumenta o vereador.

Para ele, os grafiteiros são agentes sociais fundamentais para a consolidação da manifestação artística e cultural da sociedade soteropolitana, fortalecendo cada vez mais o movimento do grafite.

O projeto de Kannário deve encontrar resistência do vereador Alexandre Aleluia (DEM) que, no ano passado, apresentou o projeto de lei anti-pichação e foi criticado pelos grafiteiros de Salvador.