Secretário-geral do PSB na Bahia, Domingos Leonelli avalia que, considerando a repercussão dos fatos, o governador Rui Costa (PT) já se definiu quanto à escolha de Ângelo Coronel (PSD) na segunda vaga ao Senado. Para ele, se tratou de uma “decisão monocrática” por uma candidatura que “não tem nenhum significado ideológico”.

“E o PT seguindo a sua tradição, que é ganhar com um discurso de esquerda e governar com as mazelas de direita e até com políticas de direita como fez Dilma Rousseff”, criticou o político, acrescentando que o Partido dos Trabalhadores não aprendeu a lição que culminou no impeachment da ex-presidente.

A declaração foi feita durante a plenária convocada por Lídice, na noite desta terça-feira (19), em Salvador. Na oportunidade, o secretário-geral pontuou a “perplexidade” do grupo diante do eventual anúncio, considerando que a senadora teve o apoio de “significativas lideranças” e garantiu boa posição nas pesquisas eleitorais já divulgadas.

“Deixa-se de ter uma candidatura de uma mulher, mas não porque ela é mulher porque tendo força política, tendo tradição, tendo um mandato pesado e correspondente (…) por um homem que não tem também nenhum significado maior na política”, acrescentou.

Leonelli atribui a posição de Coronel na majoritária à força do senador Otto Alencar, presidente do PSD na Bahia. Além disso, a sigla detém 81 das 417 prefeituras baianas. (BN)