Com a greve de caminhoneiros, o gás de cozinha ficou escasso nas distribuidoras e revendedoras da capital baiana. A situação ficou muito pior na periferia e em bairros populosos como Cajazeiras.  Os poucos lugares que ainda ofertam o produto estão inflacionando o preço do botijão e chegam a cobrar R$ 170, informou o blog Cajazeiras News.

Esse valor que é 145% a mais do que era vendido antes do protesto dos caminhoneiros e, segundo uma moradora, estaria sendo praticado no último domingo (27). Trata-se de um crime contra a economia popular praticado aos olhos vistos da fiscalização.

Cadê a Polícia Civil que, através da Delegacia do Consumidor (Decon), teria a prerrogativa de autuar e punir os infratores? ´É a pergunta que fica no ar.

O Sindicato dos Revendedores de Gás LP do Estado da Bahia (SINREVGAS) informou que o valor médio do preço do botijao de 13Kg é R$ 65. Em alguns estabelecimentos, o valor do botijão varia entre R$ 70 e R$ 80. Isso antes do protesto dos caminhoneiros.