O Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) vai apurar denúncia de supostas irregularidades envolvendo a contratação de bandas que se apresentaram durante a festa de Réveillon de Salvador em 2017.

Um inquérito será instaurado para atender à representação encaminhada ao órgão pelo então vereador Everaldo Augusto (PCdoB), em julho de 2016. O parlamentar acusou a gestão municipal de improbidade administrativa, alegando falta de informações públicas sobre o valor gasto na festa, feito em parceria com a iniciativa privada.

O vereador comunista – hoje presidente municipal do partido e chefe de gabinete da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb) – alegou também que não houve indicação do crédito orçamentário a ser vinculado ao pagamento das despesas nem qualquer tipo de licitação prévia.

A Empresa Salvador Turismo (Saltur) divulgou nota à imprensa informando que não houve quaisquer irregularidades nas contratações. A entidade esclarece que já colaborou com o MP-BA ao prestar todas as informações solicitadas e que continua à disposição da promotoria para outros esclarecimentos, se necessário.