Em virtude dos protestos de caminhoneiros contra a alta do diesel, com bloqueio de várias rodovias pelo país afora, a Petrobras anunciou que vai reduzir pala quarta vez consecutiva o preço da gasolina. A empresa informou que vai diminuir de 0,32% nas refinarias a partir deste sábado, 25, para 2,0096 reais por litro.

Entretanto, após cinco dias da greve dos caminhoneiros, o Sindicombustíveis, entidade que congrega os empresários do setor, informou que devido à alta demanda nos postos nesta sexta-feira, 25, cerca de 95% dos 150 postos de Salvador já não tinha mais gasolina e etanol à disposição dos clientes.

Uma equipe do diário baiano A TARDE percorreu vários postos da cidade para verificar a situação e constatou que, como informado pelo sindicato, a maioria dos postos já não possuía mais combustíveis. Nos poucos que ainda dispunham, as filas eram enormes e exigia muita paciência dos clientes. Além disso, a disposição dos preços também chamava atenção, com tarifas que variavam de R$ 4,57, pelo centro da cidade, na orla e na BR-324, até R$5,89.

No percurso entre São Cristóvão e Pituba, só foi possível encontrar gasolina em um posto e GNV em outros dois estabelecimentos. Nos postos localizados na rodovias BA-526, Estrada do CIA e na Av. Luiz Viana Filho (Paralela) não tinha mais disponível nenhum tipo de combustível, situação semelhante encontrada nos postos do Rio Vermelho e Ondina. Os postos da região não têm mais combustível desde o fim da manhã de quinta-feira. De acordo com funcionários, não há previsão de reabastecimento dos estoques. Em um posto na avenida Adhemar de Barros, frentistas afirmaram que não era mais possível o abastecimento de carros, devido à falta de estoque.