O advogado do ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB), Gamil Föppel, apresentou petição à Polícia Federal onde narra que um empresário, que se identificou como Carmerino de Souza, diz ser o proprietário da fortuna de R$ 51 milhões apreendida pela PF em setembro do ano passado num apartamento localizado no bairro da Graça, em Salvador.

De acordo com a coluna Satélite, do jornal Correio, Föppel teria orientado o empresário a procurar a corporação, mas ele insistiu em manter o contato com o escritório. Ainda segundo a publicação, desde o dia 8 deste mês, o homem liga diariamente para o escritório do criminalista dirigindo ameaças e, inclusive, chegou a ser barrado, na terça-feira (15), na portaria do edifício onde funciona a banca de advogados.