Redação G8 News
jornalismo@g8news.com.br

 

O Tribunal de Contas dos Municípios julgou, nesta quarta-feira (13), procedente a denúncia feita pela vereadora de Jitaúna, Rúbia Cristina Rocha (PT), contra o prefeito Patrick Gilberto Lopes Rodrigues (PDT), em razão da irrazoabilidade dos gastos com a cavalgada ocorrida no município no exercício de 2017. O relator, conselheiro Fernando Vita, determinou a formulação de representação ao Ministério Público Estadual para que se apure a prática de improbidade administrativa e aplicou multa no valor de R$15 mil.

A relatoria considerou que as despesas, no montante de R$42 mil, violaram os princípios da economicidade e razoabilidade, principalmente pela grave situação de seca enfrentada pelo município, que impôs a decretação de estado de emergência e que perdurou durante todo o ano de 2017.

A relatoria concluiu que as matérias publicadas em jornais, informativos e na página oficial da prefeitura não foram movidas somente com propósitos informativos ou educacionais, mas também para enaltecer a figura do gestor e sua cavalgada, o que caracteriza a autopromoção. O gestor não apresentou documentos que dirimissem as irregularidades.

O pedetista ainda pode recorrer da decisão.