ACM Neto, prefeito de Salvador e presidente nacional do DEM, reagiu com indignação ao pedido de suspensão das obras do BRT (via expressa para ônibus) que a Prefeitura está construindo e que tem sido motivo de muita polêmica e muitos protestos na capital, em virtude, principalmente, da derrubada de árvores e do tamponamento de córregos existentes no trecho.

A ação civil, que requer a paralisação imediata das obras, foi ajuizada em conjunto pelo Ministério Público Federal na Bahia (MPF-BA) e o Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), na última terça-feira, dia 12.

Neto lamentou o posicionamento do Ministério Público e disse que vai defender o sistema de transporte “com todas as forças perante a Justiça”.

“Eu realmente não posso respeitar esse tipo de coisa porque é contra a cidade. Me perdoe, com todo o respeito que eu tenho ao Ministério Público Federal e ao Estadual. Eles estão fazendo uma coisa contra a cidade e nós vamos utilizar de todos os meios necessários para fazer defender o interesse de Salvador”, afirmou o demista.

E ainda emendou: Eu vou enfrentar este assunto e vou defender o BRT com todas as forças perante a Justiça, e a obra está continuando, porque não há nada que impeça a obra de continuar”.

A ação do MPF e MP-BA requer a declaração de nulidade do contrato firmado entre a Prefeitura de Salvador e o Consórcio BRT/Salvador e, liminarmente, a suspensão imediata das obras do BRT (Bus Rapid Transit) na capital baiana.

*J. Britto, com informações de Bahia.ba