No pequeno povoado de Matarandiba, no município de Vera Cruz, na llha de Itaparica, um mistério tem despertado a atenção dos moradores. No meio de uma área de mata fechada, uma cratera de mais de 40 metros de profundidade, 69 metros de largura e 29 metros de área da superfície apareceu do nada, deixando todos intrigados.

O buraco fica em um terreno em que a indústria Dow Química tem o direito de explorar água de salmoura, com altíssima concentração de sal.

A empresa identificou a alteração no dia 30 de maio e fez uma proteção com fita plástica e cartazes para tentar evitar que os moradores se aproximem. Um segurança também fica no local explicando à população do risco de queda.

O problema é que a cratera, que fica a cerca de um quilômetro do povoado, tem se tornado um ponto de visitação dos moradores. Famílias se arriscam e vão até o buraco para ver o fenômeno, como se estivessem num passeio qualquer de fim de semana.

O povoado é habitado em sua maioria por marisqueiros, pescadores e caçadores – a maioria, gente de pouca condição financeira e pouca instrução formal.

Erosão – O diretor de manutenção e operação da Dow Química na Bahia, Marcelo Braga, acredita inicialmente que o motivo da abertura do buraco seja um processo de erosão do solo. Há risco de a depressão aumentar, já que o processo de acomodação do solo pode não ter encerrado ainda. Informações do Correio*