O vereador Toinho Carolino (Podemos) recebeu com surpresa a inclusão do seu nome como um dos suspeitos na Operação Luz na Infância 2, deflagrada nesta quinta-feira (17), para combater a pedofilia. Um imóvel atribuído ao edil foi alvo de uma batida policial, mas ele não estava no local. A ação, liderada pelo Ministério Extraordinário da Segurança Pública, foi executada pelas polícias Federal, Civil e Militar da Bahia.

Carolino, que está em seu segundo mandato na Câmara Municipal de Salvador (CMS), declarou à imprensa que não mora no apartamento onde foi cumprido o mandado de busca e apreensão há mais de seis meses e sequer imagina o que pode ter acontecido por lá. Disse, ainda, que seu advogado já está se inteirando dos detalhes da denúncia e espera que os fatos sejam esclarecidos o mais breve possível.

A Operação Luz na Infância cumpre 26 mandados de busca e apreensão em Salvador, Camaçari, Feira de Santana, Poções, Camacã, Ilhéus, Itagimirim e na Ilha de Itaparica.